quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Serra de fita - Uma novela

Ha tempos vinha cobicando uma serra de fita com uma altura de corte maior dos que os 16cm da minha Makita LB1200. (Cheguei inclusive a examinar algumas usadas das antigas, com amplos volantes e farta altura, mas seu peso e tamanho infelizmente as fizeram inviaveis para meu limitado espaco e indispensavel mobilidade: exceto a desempenadeira e a serra circular de bancada, fixas ao piso, tudo o mais na minha 'oficina' e' necessariamente movel, as posicoes sendo configuradas conforme o andamento de cada projeto — o que certamente e' uma chatura, mas e' isso ou simplesmente nao conseguiria me mover com a minima ergonomia.) Conclui que para conseguir acomodar funcionalmente a tralha e atender minha demanda por mais altura no corte necessitaria uma serra com volantes de 14" (ou 355mm). Ahi, claro, entrou em acao o Principio da Implicancia Natural das Coisas (PINC) e embora eu procurasse nao consegui encontrar disponivel sequer uma dessas, usada, que me agradasse...

Surfando pela Teia pude verificar que na China varias fabricas estavam produzindo um novo modelo de serra de fita de 14", desenvolvido para atender o padrao da CE (Comunidade Europeia). Esse ilustrado ahi nas fotos ao lado.

O preco, como usual, extremamente tentador: U$300-500 FOB. Infelizmente, tambem como usual, peso e volume representam um frete muitissimo dispendioso, e o pedido minimo de 5 unidades nao facilita nada. Mas entao, ainda em navegacoes pela Teia encontro no site da Starrett do Brasil esse exato modelo com a designacao S2520-H2. O preco da maquina posta aqui nos nossos balcoes, no entanto, me arrepiou.


Mas como a necessidade de maior altura de corte permanecia, resignei-me e fui fazendo uma poupanca para adquirir o "incomodo". Quando eventualmente consegui capitalizar o fantabulastico preco cobrado em pindorama pela maquina fabricada na China e revendida aqui com etiqueta de industria dA Matriz, obviamente o PINC entrou em acao e, por meses, nao consegui encontrar a serra disponivel.

Mas eis que entao um belo dia ela surge disponivel, a pronta entrega, no site da JNakao. Faco o login na velha conta e efetuo a compra, antes que se evapore. Confiro o extrato do cartao e estavam feitos, credito para a loja, debito na minha conta. Beleza.

Mas voces acham que o PINC ia-me abandonar assim tao facil?
Na, na, ni, na, nao!...

(Um parenteses:
Anos atras, fazendo minha primeira compra na JNakao, apos o cartao de credito ser debitado fui surpendido por um email demandando enviasse documentos, alegadamente para minha seguranca. Respondi que nao me desejava submeter a tal gincana burocratoadministrativa e que se os tais documentos eram de fato considerados indispensaveis, que fosse cancelada a compra. Para minha surpresa, recebo um telefonema do Julinho, o proprietario da JNakao, que tentou me explicar o porque da demanda de tais documentos, e tal. Resumindo a relativamente longa e amistosa conversacao, eu disse que continuava me recusando a entrar na gincana, e ele que nao poderia abrir excecao. A transacao foi cancelada — embora eu necessitasse ter de abrir uma ocorrencia junto `a administradora do cartao para ter meu credito estornado.
Meio mordido, para comprovar a inutilidade do tal procedimento de seguranca acabei enviando para o endereco de email do Julinho um dos tais documentos exigidos — uma conta valendo como certificado de residencia. So que editei (no capricho!) a fotocopia e a conta enviada tinha o meu nome, mas o endereco era o da propria JNakao em Sampa, hehe.
Nao houve resposta, mas quando tempo depois fui fazer uma compra ela foi aprovada e aprovada permaneceu em algumas outras compras que fiz.)

Mas entao, feita a compra da serra de fita e recebido o email automatico de confirmacao, no dia seguinte recebo um mail dizendo que... como era minha primeira compra no site eu tinha que enviar documentos, e tudo. Respondi que nao, absolutamente nao era minha primeira compra e nao, nao tinha enviado documento algum antes e nao iria enviar agora e, sendo o caso, que se cancelasse a compra. O que resultou, no dia seguinte, em um email de retorno da gerencia da loja, confirmando que tinham encontrado meus pedidos anteriores que tinham desaparecido do site em funcao de um 'upgrade', e que nao precisaria enviar documento algum e que tudo bem.

Respondi que tudo bem mas, como ia ter de sair em viagem, o prazo de entrega teria de ser cumprido, o que nao deveria ser problema posto a mercadoria anunciada como "pronta entrega". O gerente entao tentou me telefonar, mas meu telefone cadastrado (da Oi) estava, como esta, mudo desde maio... Mas isso e' outra novela. A ideia era que o gerente gostaria de me enviar uma serra "nova da fabrica" mas que, "pela urgencia", iria entao enviar a que tinham a pronta entrega.

Senti o pepino, claro. Mas resolvi correr o risco; afinal sempre poderia cancelar a compra se nao ficasse satisfeito com a maquina que me entregassem. Bueno, depois de algumas interacoes com a transportadora, um mero par de horas antes do meu horario de partida para a viagem a transportadora chegou para entregar a mercadoria. Veio sem embalagem alguma, embrulhada em plastico bolha e sem sequer palet na base, apenas umas taboas de MDF aparafusadas. Fiz uma conferencia rapida da encrenca depois de 'desembrulhar', anotei os problemas que encontrei no verso das notas fiscais, minha e da transportadora, e fui para a estrada...

Quando voltei, fui olhar a coisa com calma e carinho.

Ficou obvio imediatamente a maquina nunca tinha sido usada para cortar madeira, mas que com certeza quase absoluta estivera em exposicao e tinha sido utilizada para testes e/ou demonstracoes de ajustes, regulagens, etc. E que era um modelo velho: como pode ser visto ahi na imagem `a esquerda no circulo amarelo, o ano de fabricacao foi... 2012!

Alem disso, a maquina estava tapada de po. Nao, serragem nenhuma, mas muito, muito po, por tudo. Nos rolamentos, engrenagens, locais de lubrificacao, o po estava compactado com o lubrificante, quase como uma tinta. Em um ou outro ponto da mesa de ferro fundido, ferrugem. Mas bem superficial, saindo sem deixar marcas com uma esfregada de esponja de aco com WD-40. Nos batentes de aluminio dos rolamentos, marcas de aperto...

Abrindo a porta do alojamento inferior, como imagino se possa constatar na imagem `a direita fica claro o descolorimento da tinta exposta `a luz em relacao `a que ficou protegida pela porta fechada.

Na lamina da fita, igualmente algumas poucas manchas de ferrugem. Adicionalmente, enquanto as ferramentas (chaves allen e de boca) vieram em duplicado junto com alguns gabaritos de espessura em embalagem da Starrett, o manual de instrucoes veio errado, o do modelo S2530.


Em suma, uma maquina ha longo tempo em exposicao entregue como nova. Nao judiada, certamente, mas com igual certeza mexida e lidada... E, embora tendo nisso consumido dois dias, foi despachada a galope, sem cuidados.

-- oOo --

Nunca tratei em pessoa com a JNakao mas, pelos testemunhos que posso ler online, a impressao que tenho e' de uma loja bem amigavel com seus clientes. Na minha experiencia pessoal no entanto, na area de comercio eletronico a coisa e' meio desastrosa: o site e' confuso, incompleto, repleto de equivocos, e nada amigavel a pesquisas. E, ainda na minha experiencia, as transacoes eletronicas sempre foram, mm, trepidantes, conturbadas.

Uma pena...

-- oOo --

De todo modo, como a serra estava ali, resolvi dar-lhe uma geral ate para conhece-la melhor.

O que vou comentar em seguida, em outra postagem, porque essa novela ja ficou comprida demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário